Transporte

A pé

As babuchas são as rainhas de Marrakesh e a atração principal da cidade antiga, encontradas na praça Jemaa-el-Fna e nos souks, onde, de qualquer maneira, não se pode entrar utilizando outros meios de transporte.

De táxi

São encontrados em todos os lugares, próximo à praça Jemaa-el-Fna (onde os carros são proibidos de circular a partir das 13h), ao longo da praça Foucauld, na estação rodoviária e na avenida Mohammed-V. Os “táxis pequenos” são maioria (principalmente os Fiat Uno ou os Dacia), e não podem sair de Marrakesh.

Antes de embarcar é bom saber:

  • Apesar de os taxistas de Marrakesh terem de ligar o taxímetro, alguns deles se recusam a usá-lo e preferem propor um preço fechado pela corrida (que, é claro, será mais caro do que o valor com o taxímetro). Nosso conselho é: recuse e espere outro táxi (eles passam o tempo todo). Agora, se após vária tentativas você ainda estiver parado no mesmo lugar, não há o que fazer, pegue o táxi que aparecer, mas negocie firmemente!
  • Uma corrida média (por exemplo, para ir do bairro histórico de Medina ao bairro de Guéliz) sai em torno de 15 Dh. Há um aumento legal de 50% à noite (20h-6h de outubro a abril; 21h-5h de maio a setembro).
  • Se o taxímetro estiver ligado, a bandeirada é de 1,70 Dh de dia e 2,55 Dh à noite. Importante: o valor mínimo de uma corrida é de 7 Dh, mesmo que o percurso tenha sido de 100 m. Atenção, verificar se no momento da partida do táxi, o taxímetro está marcando o valor da bandeirada e não um preço maior, porque golpes do taxímetro também acontecem!
  • Evite entrar em um táxi ocupado, porque, em muitos casos, o motorista leva os primeiros passageiros que embarcaram ao seu destino antes dos demais.
  • Na cidade, um táxi grande (as Mercedes antigas) é significativamente mais caro do que um taxi pequeno (exceto quando realizando percursos comuns, como da estação de ônibus até a estação de trem). Eles são autorizados a deixar a cidade e não possuem taxímetro. Portanto, negocie o valor da corrida ANTES de iniciá-la.
  • Para uma corrida de 15-20 km, partindo do centro da cidade, calcula-se um mínimo de 120 Dh.
  • Os táxis verdes : 05-24-40-94-99. Especifique o trajeto a ser percorrido; o valor é estabelecido antes com base na bandeirada cujo valor é de 10 Dh durante o dia e 15 Dh à noite (o dobro para o Palmeiral). O táxi vem buscá-lo na hora e no local desejado.
  • Cada táxi tem seu próprio número. Em caso de problema, a polícia turística pode identificar o motorista.

De ônibus

Trinta linhas compartilham a rede. Paga-se pela passagem no próprio ônibus.
Valor da passagem: 4 Dh por um trajeto dentro do centro da cidade. Eles são confortáveis e, em alguns casos, climatizados.

Para uma estada de 5 dias ou mais, com uso intenso desse meio de transporte, é vantajoso comprar um bilhete magnético Ikhlass “descarregado” pelo preço de 50 Dh. Ele pode ser adquirido em qualquer ônibus (depois é necessário carregá-lo e o valor do trajeto diminui para 3,30 Dh).

Se estiverem em um grupo de 3, um táxi pequeno não sai tão mais caro...

  • Ônibus turístico vermelho: sai do escritório de turismo. Ticket válido por 24h: 145 Dh; Ticket válido por 48h: 190 Dh ; há audioguias disponíveis.
  • Tour histórico: de abril a setembro, das 9h às 18h e das 19h às 23h (das 9h às 17h45 somente de outubro a março e durante o ramadã); a cada 20-30 minutos; duração: 1h30.
  • Tour oásis: de abril a setembro, das 13h às 17h (16h30 de outubro a março e durante o ramadã); de hora em hora; duração: 1h.

De caleche

Marrakesh é uma das poucas cidades do Marrocos que conseguiu manter ativo esse charmoso meio de transporte. Para os nostálgicos, é uma bela maneira de se deslocar na cidade (podem ser transportadas entre 4 e 5 pessoas por vez), contanto que se negocie bem o preço antes de iniciar o percurso.

Por exemplo, um bom passeio de caleche de meia hora no bairro Medina e pelas muralhas sai por cerca de 120 a 150 Dh.

Alguns cavalos, como que por acaso, param em frente a uma loja... Então, deixe bem claro que você não quer parar para fazer compras.

Se você ficar satisfeito com o passeio, nada impede de deixar uma gorjeta.

  • A parada principal das caleches é em frente ao Club Med, na altura da praça Foucauld, ou praça da Liberté, no cruzamento dos bairros de Hivernage e de Guéliz. Mas, às vezes, são encontradas nas proximidades de grandes hotéis e em pontos turísticos (palácio da Bahia, jardim Majorelle, etc.).

Sobre duas rodas

Aluguel de bicicleta: Encontram-se locadoras na avenida Président-Kennedy, e no bairro de Hivernage, particularmente em frente aos hotéis Andalous, Golden Tulip Farah ou Es Saadi. A diária sai por cerca de 100 Dh.

Elas são muito utilizadas pelos habitantes de Marrakesh. Ciclovias seguras levam aos jardins da Ménara, atravessam um pedaço do Palmeiral e passam pelas muralhas. É perigoso andar de bicicleta fora dessa área. Então, não as recomendamos como meio de transporte.

Aluguel de scooters e motos:

A observação feita em relação a bicicletas e circulação pela cidade também vale para as motos e scooters. Por outro lado, podem ser um meio de transporte prático para descobrir os arredores de Marrakesh. O capacete é obrigatório! Mas cuidado, faça negócio com uma locadora estabelecida, porque a maioria não tem seguro.

Se o aluguel for feito por duas pessoas, não fica muito mais barato do que alugar um carro de categoria A.

De carro

O trânsito de Marrakesh é caótico, com engarrafamentos frequentes às sextas-feiras e nas noites de sábado. O problema é dar conta das leis de trânsito, das caleches, táxis, ônibus, carros, ciclistas, pedestres ... Portanto, deve-se ser paciente e prestar tenção redobrada. E não tente entrar no emaranhado de Medina, onde as ruas são estreitas e supercongestionadas.

Estacionamentos:

É fácil estacionar nas ruas de Guéliz. Há agora sistema de parquímetro pelo preço de 2 Dh por hora (exceto aos domingos). A tolerância é de 5 minutos ... se passado o tempo, uma tranca será colocada nele. Para retirá-la, deve-se ligar para a empresa Avilmar (05-24-44-82-14) e pagar uma multa de 40 Dh.

Nas ruas sem parquímetro, ou à noite, é comum um guardador de carro lhe ajudar com gestos desnecessários a deixar o local onde o carro está parado. Dê a ele de 2 a 5 Dh por algumas horas, Dh 10 por um dia, e Dh 20 por uma noite. Esses guardiões pagam ao município um “direito de supervisão” e o dinheiro pago pelos motoristas é sua única fonte de renda.

Existem muitos estacionamentos: o Parking Plaza, na avenida Mohammed-V, em Guéliz, e perto do bairro de Médina, perto da mesquita de Koutoubia.

Aluguel de carro:

Desconfie! Há uma grande quantidade de agências que, muitas vezes, trabalham com sublocação. Não assine nenhum contrato sem antes ver e avaliar o veículo (estado dos pneus, a presença de um pneu sobressalente, um macaco, porta-malas, funcionamento dos faróis, etc.).

Não deixe para lugar o seu veículo na última hora. Nos períodos de grande movimento (Páscoa, Dia de Todos os Santos e Natal), a demanda pode até exceder a oferta.

Atenção! As grandes empresas de aluguel de automóveis têm uma franquia de até 20.000 Dh para um carro da categoria A. Se você optar por não fazer seguro, esse valor deve estar disponível no seu cartão: ele pode ser debitado ou até bloqueado durante o tempo de locação!

Quanto aos preços, um veículo pequeno (Tipo A) custa, durante a alta temporada, cerca de 300-350 Dh por dia, para um aluguel de uma semana com seguro básico. Valores mais baixos certamente escondem algum truque sujo!

 

http://stoursevents.com/fmdh2014/fr/home.html